sexta-feira, junho 09, 2006

Timor: sondagem

Como complemento àquilo que escrevi aqui, assim como àquilo vamos lendo aqui, aqui ou aqui, talvez valha a pena olharmos para os resultados de uma das poucas sondagens realizadas em Timor-Leste [mantenho o inglês dos relatório original (.pdf), mas claro que as perguntas e opções de resposta foram feitas nas várias línguas originais]:

The Asia Foundation/Charney Research/AC Nielsen, Dezembro 2002, N=1114, aleatório, presencial

In what languages can you speak? (pergunta de resposta múltipla; soma das percentagens superior a 100%):
Tetum: 88%
Indonesian: 40%
Mambae: 17%
Makasa’e: 10%
Portuguese: 7%
Others with 5% or less: 27%

Apenas 7% dos inquiridos declaram saber falar português.


How concerned are you about corruption in the government: very concerned, somewhat concerned, not really concerned, or not at all concerned?
Very: 76%
Somewhat: 14%
Not concerned: 5%
DK/NA: 5%

90% dos inquiridos estavam, do final de 2002, "muito" ou "algo" preocupados com a corrupção no governo


People talk a lot in East Timor today about the Constitution. What does the Constitution mean for the country?
Source of law / basic law for citizens: 28%
Way of life / guidance on being citizens: 15%
Law and order: 8%
Rules for an independent country: 7%
Public and government participation: 4%
A good thing: 3%
Effort to develop rules / future law and order; 2%
Other: 1%
Unsure: 33%

1/3 da população não sabia dizer o que era a Constituição.


This year the Constitution was adopted as the highest law in East Timor. Did you feel there was genuine public participation when it was written, or not?
Yes: 45%
No: 41%
DK/NA: 15%

Mais de 40% acham que a Constituição foi aprovada sem participação pública. O sentimento era especialmente forte em Baucau e na região Leste do país, claro.


Nada acontece por acaso.
Enviar um comentário