segunda-feira, setembro 19, 2011

IMPACT

Aqui em DC, onde existem algumas das piores escolas públicas nos Estados Unidos, foi criada uma coisa chamada IMPACT, um sistema de avaliação dos professores cujo critério fundamental é baseado em melhorias verificadas de um ano para o outro nos resultados dos testes anuais aos alunos realizados em Abril. Há também cinco observações anuais de aulas, três pela administração da escola e duas por observadores externos formados para o efeito. Professores com a classificação máxima recebem um bónus anual que pode ir até $25,000. Professores com repetidas classificações máximas recebem aumentos de salário que podem ir até $20,000 anuais.

O que o sitezinho não explica bem é que os professores que optarem por receber o bónus  - 70% dos 670 classificados este ano como highly effective - abdicam também de benefícios em caso de despedimento. Mas como se explica aqui, estes professores são precisamente os que têm menos probabilidade de serem despedidos, o que ajuda a explicar o facto de o número dos que optam por receber o bónus ter aumentado significativamente. Mais giro ainda é de onde vem o dinheiro para os bónus e aumentos: de uma coisa chamada DC Public Education Fund, apoiado por donativos...privados.

Há uma discussão muito interessante sobre se os modelos que visam estimar o aumento do desempenho dos alunos o fazem de forma correcta, se, apesar de tomarem em conta a mudança relativa (e não o desempenho absoluto) dos alunos, não continuam a prejudicar professores que ensinam nas áreas mais problemáticas, ou se o sistema gera os incentivos correctos. Mas o Washington Post parece achar que a coisa é genericamente boa.
Enviar um comentário