sábado, maio 26, 2007

Lisboa

Três sondagens divulgadas publicamente - Marktest, Eurosondagem e Católica - as três presumindo cenário com candidatura de Carmona. Os resultados são estes:



Confirma-se, por um lado, que de nada serve comparar resultados brutos de diferentes sondagens. Reparem na diferença entre a abstenção declarada na sondagem da Católica (23%) com a declarada na Marktest (3.2%), ao passo que a Eurosondagem nem a reporta. Diferentes normas de divulgação de resultados e, provavelmente, diferentes questionários - com a Marktest provavelmente a colocar o "não voto" como opção residual numa pergunta de intenção de voto e a Católica a fazer uma pergunta-filtro sobre probabilidade de votar - fazem com que esses resultados nem sejam comparáveis.

Olhando para as "estimativas" - ou seja, os resultados das sondagens expressos de forma a serem comparáveis entre si e com resultados eleitorais - há diferenças importantes. António Costa aparece com mais de 30% das intenções de voto válidas nas três, mas no que se segue há uma grande confusão. Carmona com 20% na Marktest, 17% na Eurosondagem e 14% na Católica; Negrão a ir na direcção oposta (12, 15 e 18%, respectivamente), e Roseta com 17, 16 e 13%.

É muito cedo para tirar grandes conclusões. As sondagens foram feitas em momentos em que não havia ainda confirmação de Carmona e, mesmo depois dessa confirmação, duvido que os eleitores tenham ainda bem arrumado na sua cabeça quem são estas pessoas, a que partido (não) pertencem e, afinal, a que vêm.
Enviar um comentário