domingo, março 01, 2009

Marktest, 17-22 Fevereiro, N=806, Tel.

PS: 38,2% (39,6%)
PSD: 28,8% (24,9%)
BE: 14,0% (10,1%)
CDU: 10,6% (11,9%)
CDS-PP: 4,1% (9,7%)

7 comentários:

Anónimo disse...

Isto sinceramente parece-me pouco credível.Como é possível uma queda de 5,6% no CDS apenas num mês? Que houve de extraordinário? Nada. Que acontecimentos podem explicar isso? Nenhum. Que raio.

Filipe Dutra Antolin-Teixeira disse...

Por acaso estou ansioso por ler a sua interpretação.

um abraço

Pedro Magalhães disse...

Eu acho que a pergunta certa é "qual é o outlier?". Com diferenças destas de um mês para outro, e não tendo ocorrido qualquer facto relevante, temos de assumir que há um caso desviante algures. Há muitas fontes de erro para além do erro amostral,e mesmo o erro amostral se baseia num intervalo de confiança (em 5% dos casos, as coisas podem correr bem pior do que sugere a margem de erro).

A sondagem de Novembro da Marktest dava 6% ao CDS, muito mais próximo dos 4% desta vez do que dos 10% anteriores. Pelo que acho que devemos supor que a sondagem anterior foi um outlier. Já o era, de resto, à luz quer das anteriores sondagens quer da Marktest quer dos outros institutos. Acontece.

Anónimo disse...

Onde posso encontrar a ficha técnica com os resultados em bruto (sem a alocação dos indecisos e dos NS/NR). Gostava de saber se esta percentagem tem vindo a diminuir ( e portanto a variação de % no PS e PSD é um deslocamento dos indecisos para o PSD ou se os que não respondem se mantêm e há uma deslocação do PS/CDS para o PSD/BE).
De facto estou mais preocupado com os que dizem que não votam.
Seria interessante analisar esta % nas sondagens e qual a corr com a abstençao (será um indicador da abstenção em 2009?)

Pedro Magalhães disse...

De certeza que, dentro de dias, estará no www.marktest.com

Anónimo disse...

«a sondagem anterior foi um outlier»

E esta? creio que é a primeira vez que o BE aparece com 14%.

Libertas

Pedro Magalhães disse...

Não. 13,6 e 14,1 nas últimas sondagens da Intercampus. Este 14 vem, de resto, na tendência. Não quer dizer que esteja "certo", mas não se estranha.