sexta-feira, março 06, 2009

O marketing político não devia ser visto como uma disciplina completamente inútil

12 comentários:

Anónimo disse...

Este PSD é um susto. Admira-me muito os ainda 28% que mantém nas sondagens.

O PSD afungenta qq indeciso: defende agora o que não praticou qd esteve no governo (e.g., extinção do pagamento especial por conta que em 2003 aumentou 150%); tem uma actividade política nula, sem iniciativa (se comparado com CDS, PC ou BE), não representando ninguém.

O governo pode fazer o que quiser que com estes inúteis do PSD nada se passa. Em contraposição, veja-se a atitude do CDS com a inércia do Contâncio; veja-se a atitude de CDS, PC e BE com o caso Fino/CGD; veja-se qd o governo pensou em sacar 250 euros aos trabalhadores a recibo verde e atitude do CDS e do BE; veja-se a atitude do CDS em defesa do abono de família para os trabalhadores independentes. Do PSD ZERO.

E agora, esta bruxa aparece-me nestes preparos. Mas será que já ninguém quer saber o que faz esta senhora? O PSD não faz falta a ninguém...

Luís C

Pedro Magalhães disse...

Já li que teria uma conjuntivite. Mas a questão é que teria sido preferível não prestar declarações à imprensa. Há uma tendência para ver tudo o que tem a ver com a gestão da "imagem" como desnecessário ou até perverso, em comparação com a "mensagem" ou ou "conteúdo" das coisas. O problema é que, desta forma, a maior parte dos telespectadores nem repararam no conteúdo nem ouviram a mensagem (que por acaso não eram irrelevantes).

Anónimo disse...

Ò Pedro Magalhães, francamente...
Comó é evidente, a drª MFL estava com um problema de saúde.
Que não a impedia de estar presente em Coimbra, nem a impedia de falar à imprensa.
Pelos vistos V. acha bem que se condicione a agenda politica aos principios do marketing.
Eu não acho. V. talvez tenha razão. Mas acha que esse deve ser mesmo o caminho?
Algum país elegeria hoje um Presidente em cadeira de rodas?
Somos todos tão inclusivos, tãopoliticamente correctos, tão a favor da igualdade de oportunidades, de quotas para mulheres, de tudo isto e mais um par de botas.
Mas ao mínimo sinal de que há alguém que não aceita sujeitar-se aos ditames do marketing político, Tunga, toma lá que já almoçaste.

E se um dia houver um candidato que seja cego? Vamos obrigá-lo a ver, porque não se podem usar óculos de sol na TV?

Francamente.

Cumprimentos,
Luis Castro

Pedro Magalhães disse...

Caro Luis Castro: isto não tem grande importância, a não ser como sintoma de algo mais geral. A "autenticidade" e a "verdade" não são necessariamente contradítórios com a compreensão mínima de como se comunica com as pessoas e como se transmite uma mensagem eficazmente. Há um certo encanto no amadorismo, mas isso é para o cicloturismo e para as colecções de selos. Quando se representa para cima de 20% do eleitorado há mais responsabilidades e as coisas são mais sérias. De profissionais da política, pessoas que não fazem outra coisa na vida que não seja representar eleitores e falar com eles, exige-se profissionalismo, acho eu.

carlos disse...

Por acaso passei por lá para ver como vai a saúde do PSD.
A líder entrou com mais de meia hora de atraso, não disse nada e foi-se sentar na 1ª fila, depois de umas palmas pífias. A poucos meses de eleições, nem um viva ao PSD ou à líder.
As primeiras filas estavam reservadas aos presidentes de câmara, deputados e membros da Direcção Nacional. Ah, já me esquecia da 2ª geração, isto é, dos filhos de uns e de outros.
As intervenções foram absolutamente normais, espelhando as posições de cada um dos intervenientes, já conhecidas e contraditórias entre si. Parecia um fórum normalíssimo, nada que tivesse a ver com um partido político.
Posição de algum responsável do PSD pela área da saúde, nicles. De política, zero.
Tudo aquilo parecia um velório. Ontem fiquei com a impressão que o PSD já morreu, só que lá dentro ainda ninguém percebeu isso.

Núncio disse...

Concordo inteiramente com Luís Castro e discordo totalmente de Pedro Magalhães.
Chega de pôr defeitos na imagem das pessoas! Se usassem a mesma energia para afastar os políticos desonestos, manipuladores e incompetentes, não estaríamos neste "pântano"...

Anónimo disse...

Sondagem de hoje Aximage Correio da Manhã

PS-38,3
PSD-24
BE-12,6
PCP-9
CDS-6,8

Rodrigo Ortigão de Oliveira disse...

Reparei que esta MFL fotossensível é bem mais divertida, irónica e empática que a outra, o que deixa a dúvida sobre se isto não foi uma brilhante manobra de marketing lamentavalmente incompreendida. I guess not...

Anónimo disse...

Caro Pedro Magalhães,

A questão não é a do profissionalismo. Aí estamos de acordo que tem de existir.
A questão é a do que deve prevalecer. O marketing politico não deve (em meu entender) substituir-se à mensagem política.
Obviamente, a mensagem política deve recorrer a todos os instrumentos ao seu dispôr para ser divulgada com eficácia. Incluíndo aos melhores marketeers políticos. Sobre isto, estamos inteiramente de acordo.
Mas isso não é o que está aqui em discussão. O que estamos a discutir é se a drª MFL se deveria de ter abstido de assistir a uma iniciativa do partido, por ter um problema de saúde. Note-se que esse problema não a impedia de estar presente, nem de falar. Mas esse problema de saúde não passa bem na TV.
Eu continuo a achar que não, a drª Manuela fez bem em não faltar à iniciativa. E, aliás, caro Pedro Magalhães, até acho que V. também acha que ela lá devia ter ido.Depois de ter publicado o post, fez um comentário a esclarecer que afinal teria sido um problema de saúde que a obrigou a falar com óculos escuros.

De resto, basta ver a forma como a drª MFL se tem vindo a vestir e a fala à imprensa para ver que tem bons assessores de imagem a trabalhar com ela. O que é diferente de deixar que sejam eles a controlar o que diz, o que faz e o que não faz.

Cumprimentos,
Luis Castro

Pedro Magalhães disse...

Mas caro Luís Castro, eu não falei em não comparecer à iniciativa. Falei em não fazer declarações à imprensa. Eu também não falto ao trabalho se tiver um problema de saúde que não o impeça. Mas não dou aulas de óculos escuros, e muito menos entrevistas.

Cumprimentos, Pedro

Anónimo disse...

«O marketing político não devia ser visto como uma disciplina completamente inútil»

daí que, com a aproximação do Verão, lhe tenham sido recomendados óculos escuros.

arrebruto@gmail.com disse...

Vejam o http://arre-bruto.blogspot.com/2009/03/manuela-wonder.html e descubram a verdadeira vocação da senhora.