quarta-feira, maio 22, 2013

Autárquicas e legislativas

Hoje passei por Oeiras e vi os cartazes da candidatura de Moita Flores:










Não vivo para estes lados e talvez por isso não faça ideia de quem é a nova Catarina mas notei duas coisas. A primeira é a ausência de menção aos partidos que apoiam a candidatura. A segunda é algo que não se vê aqui: em todos os cartazes que vi hoje, alguém tinha pintado "PSD". Obviamente, muitos candidatos do PSD pelo país fora tentarão omitir qualquer referência ao seu partido, enquanto muitos dos seus adversários farão o possível por chamar a atenção para ele. Mas isto fez-me pensar nos resultados das eleições autárquicas e na sua relação com a política nacional.

Tivemos 10 autárquicas até ao momento (excluindo intercalares). Que resultados tiveram os partidos do governo nessas eleições, e como se comparam eles com os resultados que obtiveram nas legislativas anteriores? No gráfico seguinte, comparo a percentagem de votos obtida pelos partidos no governo nas autárquicas (Câmara Municipal) com o resultado das legislativas anteriores. Nos casos em que há um partido de governo que concorreu em coligações pré-eleitorais nalgumas câmaras, extraí desses resultados a componente do partido de governo na base da distribuição dos total dos votos nos casos em que os partidos dessas coligações concorreram separados.




O desfecho mais frequente é que os partidos de governo sofram perdas nas autárquicas (-4.5 pontos, em média). Mas há grande dispersão: há três eleições com ganhos, assim como duas eleições com perdas catastróficas (acima dos 16 pontos, para o PSD, em 1989 e 1993).

O gráfico abaixo mostra a relação entre as perdas sofridas pelo(s) partido(s) de governo e o tempo decorrido após as legislativas. Os únicos casos em que os partidos de governo ganharam em relação às legislativas anteriores foi quando as autárquicas tiveram lugar imediatamente depois dessas legislativas, beneficiando aparentemente assim de um efeito de "lua de mel" e porventura do facto de, para os eleitores, o "incumbente" ser ainda outro (o que pode explicar os resultados particulamente bons para a AD em 1979 ou para o PSD em 1985 mas não a subida do PS em 2009). Em eleições autárquicas aproximadamente a meio do ciclo das legislativas, há sempre perdas, mas essas perdas podem ser relativamente pequenas (AD em 1982, PS em 1997) ou tremendas (PSD em 1989 e 1993).

As próximas autárquicas terão lugar cerca de 850 dias depois das legislativas de 2011. Se quisermos ser amáveis para a actual coligação de governo, podemos fixar-lhe um objectivo modesto: conseguirão os seus partidos em conjunto mais de 33% dos votos nessas autárquicas (tendo assim perdas inferiores ao PSD em 1993) ou ficarão abaixo desse resultado?
Enviar um comentário