sexta-feira, janeiro 11, 2008

Outlier: as palavras e os actos

Os políticos portugueses gostam muito de aludir aos resultados dos estudos de sociológos e politólogos como eu e muitos outros a propósito do cepticismo e da descrença dos eleitores em relação à política, aos políticos e aos partidos. Gostam de dizer que isso os preocupa e que gostavam de contribuir para a resolução do problema, como se se tratasse de uma espécie de catástrofe natural sem intervenção humana. E maneira como se propõem resolver o problema é sugerindo mil e uma "reformas institucionais". Eu gostava de acreditar neles. Mas os actos falam mais alto que as palavras. Não há "reforma institucional" que valha para compensar as consequências daquilo que o governo fez nos últimos dois dias.
Enviar um comentário