segunda-feira, abril 11, 2005

Autárquicas 2005: Odivelas

Sem propósitos de ser "polícia" das sondagens que vão saindo (não tenho vocação nem informação suficientes), deixo a informação relatada por um leitor, as questões que levanta, e as minhas respostas na base da informação que fornece:

Sondagem efectuada no concelho de Odivelas a 4 e 5 de Abril epublicada a 6 de Abril no jornal "Nova Odivelas" (...), pela empresa "One Press", mediante 500 entrevistas telefónicas nas 7 freguesias do concelho, com os seguintes resultados, que foram destacados na 1ª página do jornal, associados à fotografia dos respectivos "candidatos" a Presidente de Câmara :

CDU-33,10%
PSD-32,05%
PS-25,50%
(as percentagens restantes dizem respeito ao PP, aoBE e votos brancos).

"Erro de amostragem": 3,41% (com um "índice de confiança" de 95%).

Esta sondagem apresenta as seguintes particularidades:
- a empresa " One Press" não é uma empresa de sondagens, mas a sociedade comercial proprietária do jornal "Nova Odivelas";
- as perguntas das entrevistas foram realizadas com base em pressupostos, uns certos, outros mais variáveis ou indefinidos, tendo em atenção que aindan ão estão definidos todos os Candidatos a Presidente de Câmara pelos principais Partidos. Assim, o único candiadato "certo" é o da CDU, tendo o candidato do PSD sido apresentado como o "provável", e no que respeita ao PS ainda não há candidato, tendo a empresa "partido do princípio" que o candidato do PS "sairá" da escolha feita pelos orgãos nacionais do Partido Socialista, entre o actual Presidente da Câmara de Odivelas e o actual Presidente da Junta de Freguesia de Odivelas ( daí que na 1ª página do jornal aparecem as fotografias dos Candidatos da CDU e do PSD, aparecendo o resultado do PS associado ao respectivo símbolo);
- a sondagem não foi depositada na Alta Autoridade Para a Comunicação Social.

Acresce, ainda, que os resultados desta sondagem causaram uma acrescida perplexidade pelo respectivo confronto com os resultados oficiais dasúltimas autárquicas(em Dezembro de 2001) e das últimas legislativas(emFevereiro de 2005), a saber, respectivamente:- PS-41,03% ; PSD-28,30% ; CDU-20,01%.- PS-47,38% ; PSD-22,43% ; CDU-9,74%.

Posto isto e na qualidade de leigo nestas matérias, atrevo-me a deixar as seguintes dúvidas:

- As sondagens não podem/devem ser só realizadas por empresas "acreditadas" ou "reconhecidas" para esses estudos ?
As quer dizem respeito as eleições, sim. "As sondagens de opinião só podem ser realizadas por entidades credenciadas para o exercício desta actividade junto da Alta Autoridade para a Comunicação Social. " - Lei 10/2000, art. 3º, n.1

- Não é obrigatório, por lei, o "depósito" das mesmas na AACS ?
Sim. "A publicação ou difusão pública de qualquer sondagem de opinião apenas é permitida após o depósito desta, junto da Alta Autoridade para a Comunicação Social, acompanhada da ficha técnica a que se refere o artigo seguinte." - Lei 10/2000, art. 5º, nº1.

- Que rigor técnico-científico tem uma sondagem feita com base em perguntas que não são idênticas e com pressupostos variáveis, do género, "em qual candidato votaria, no candidato A do Partido X ou no candidato B ou C ou D do Partido Y ?" ?
Rigor no que respeita à amostragem, ou seja, à capacidade para obter uma amostra da representativa da população, podem ter. Não sei como exactamente foram feitas as perguntas, nem se o texto das perguntas foi divulgado pela imprensa. Seja como for, quando se trata de decidir o Presidente da Câmara, é muito plausível que a identidade dos candidatos seja pelo menos tão importante como o partido. Pessoalmente, parece-me que fazer sondagens sobre eleições autárquicas sem que se conheça a identidade de todos os candidatos é algo prematuro ou, pelo menos, introduz grandes limitações aos resultados que obrigam a que a sua intepretação tenha de ser extremamente cautelosa.
Enviar um comentário