segunda-feira, dezembro 26, 2005

Sim e sim

Sobre os efeitos dos debates:

No Blogo Existo:
Como se torna evidente quando ouvimos as pessoas discutir o debate, uma pergunta dessas pode ser entendida de várias maneiras. Eis algumas:
1. Quem acha que revelou maior capacidade de argumentação?
2. Quem acha que foi mais convincente?
3. Quem acha que se defendeu melhor?
4. Quem o convenceu a si?
5. Quem acha que convenceu os outros?
6. Quem conseguiu alterar a seu favor a opinião do eleitorado?

Ontem, logo após o debate, o Director do Público opinou que a vitória táctica foi de Soares, mas a vitória estratégica foi de Cavaco. Entendo perfeitamente o que ele quer dizer, mas fico a pensar como responderia JM Fernandes à sondagem realizada.A ideia de perguntar às pessoas se mudaram de opinião em função do debate parece boa, mas tampouco funciona. Poucas pessoas estarão disponíveis para admitir que um mero debate inflectiu o seu sentido de voto, porque isso fá-las parecer algo volúveis, ou mesmo tontas.


De um leitor do Bloguítica:
Procurando acrescentar um dado adicional à questão, refiro que o resultado de um debate pode alterar-se de dia para dia. Isto é, na noite do debate pode ser um determinado resultado, no dia seguinte outro e assim sucessivamente. Nos estudos que costumo promover, só me "decido" acerca do resultado de um debate (por exemplo) ao fim de 4 ou 5 dias, isto é, enquanto avalio se as opiniões dos inquiridos não foram alteradas por outros acontecimentos. Os resultados vão-se alterando de dia para dia, em parte certamente pelas circunstâncias do próprio estudo, mas em parte também pelos comentários entretanto produzidos, pelas repercussões nos outros media, pelas repetições do best of nas várias televisões. Mas, em parte também porque o racional vai-se sobrepondo ao emocional, isto é, as pessoas deixam de olhar para o debate pelo debate propriamente dito e passam a reflectir sobre o debate em função dos seus objectivos políticos – intenções de voto.
Enviar um comentário