sexta-feira, maio 06, 2011

Aqui vamos nós

Aí vem o chato, ou seja, eu. Não sei, na base disto, quantas pessoas dizem na sondagem da Eurosondagem que não tencionam votar. Mas vamos presumir - é uma possibilidade - que havia uma pergunta-filtro que deixava fora da amostra os que não tencionavam votar e que todas as percentagens relevantes se calculam em relação ao total de 2048. Então temos que 21% (430 pessoas) dizem que não sabem ou não respondem à questão de intenção de voto. Sobram 1618. É esta a amostra na base da qual as percentagens de intenções de voto válidas são calculadas. Na Católica, a amostra relevante é de 1033 pessoas.

E agora a pergunta: tendo em conta a dimensão das amostras, as diferenças entre os diferentes resultados obtidos pelas duas sondagens é estatisticamente significativa? A resposta é NÃO.

Margens de erro das diferenças entre proporções para as duas amostras independentes CESOP e Eurosondagem:
PSD: 3,7
PS: 3,7
CDS-PP: 2,4
CDU: 2,2
BE: 1,8

Em todos os casos, estas margens de erro são superior à diferenças entre as duas sondagens para os cinco partidos.

Já agora: o que passa em relação à vantagem PS sobre PSD ou PSD sobre PS? É simples: as margens de erros das diferenças, nos dois casos, são também superiores às diferenças detectadas na amostra (2 pontos a favor do PS na Católica, 3,3 pontos a favor do PSD na Eurosondagem).

Tudo o que está antes aplica-se também à Aximage, especialmente tendo em conta que estamos a falar de uma amostra bem menor. Em resumo: as três sondagens de hoje são compatíveis com a ideia de que estão a captar uma mesma realidade. Eu sei que o que interessa é o "quem vai à frente na sondagem" e etc. Mas as coisas são o que são.


Já agora, vantagens significativas:

1. PSD sobre CDS-PP, naturalmente, em todas.
2. CDS-PP sobre CDU, na Eurosondagem.
3. CDU sobre BE, na Católica.


Tudo isto explicado aqui.
Enviar um comentário