quinta-feira, janeiro 12, 2006

Críticas

Ao consultar o blogue Margens de erro, dinamizado por um especialista de sondagens da Universidade Católica, sou confrontada com a dificuldade de apreender todas as explicação dos termos técnicos. E continuo na ignorância sobre a explicação fundamental acerca dessas opções técnicas. Este blogue que, dizem, todos os políticos consultam avidamente, pois compara os resultados das diversas e sucessivas sondagens, é um site só para especialistas e fanáticos: mais interessados em discutir a margens de erro de uma técnica ou de outra, as suas vantagens relativas, as suas variações na estimativa, como num jogo de apostas e pontuações, ou numa corrida de aficcionados. Em suma, um exercício de adivinhação.

Ali não encontro qualquer esclarecimento capaz de satisfazer o eleitor comum. Nos sites dos candidatos, não vejo nenhuma versão contraditória dos factos das sondagens. Nos jornais, encontro sensacionalismo e preversão dos números. No DN esta semana, uma sondagem actualizada todos os dias pretende demonstrar a evolução dia-a-dia das tendências do voto, como se fosse um campeonato, ou uma volta a Portugal em bicicleta. Este empolamento não passa de uma falácia para criar suspense e vender jornais.

Mais porrada aqui.
Enviar um comentário