sexta-feira, janeiro 06, 2006

Um ano

O primeiro post deste blogue foi escrito no dia 6 de Janeiro de 2005. Escrevi nessa altura:

Achei que seria bom que existisse em Portugal uma fonte de informação sistemática sobre as sondagens que vão sendo publicadas. É também provável que, por obrigação profissional, tenha de recolher alguma dessa informação, especialmente durante os próximos treze meses onde haverá eleições legislativas, autárquicas e presidenciais. É possível que tenha algumas coisas para dizer sobre essas sondagens. E essas coisas raramente são ditas (ou podem ser ditas) noutras fontes de informação que não um blogue. Logo, serão ditas e escritas aqui.

Nem tudo correu como eu gostaria. Suspeito que não terei resolvido sempre da melhor maneira o dilema entre, por um lado, a vontade de debater estes temas e, por outro, a necessidade de fugir ao papel de "polícia" de quem faz ou divulga as sondagens, papel para o qual não sou talhado, especialmente tendo em conta que, para além de "consumidor" de sondagens, sou também "produtor" e parte interessada.

Sei também que perdi demasiado tempo com questões eleitorais, ficando-me pouco tempo para pensar, escrever e debater outros temas que, de resto, me interessam bastante mais. O que é e como se mede isto da "opinião pública"? Qual é (e qual deveria ser) o seu papel no funcionamento da nossa democracia? Sondagens em geral, e sondagens eleitorais em especial, contribuem uma pequeníssima parte para a resposta às perguntas anteriores.

E lamento que, de todos os e-mails e comentários que li, sejam raríssimos aqueles que contestaram as minhas opções e interpretações técnicas. Eu conheço várias objecções a essas opções e interpretações, suspeito que outras existam, e sei que há pessoas que sabem muito mais de vários assuntos aqui debatidos do que eu. Portanto, de futuro, não se acanhem.

Apesar disto, o ano não foi mau de todo. Nunca imaginei que, num ano, este blogue pudesse ser visitado mais de 120.000 vezes, ou que lhe fizessem mais de 400 ligações noutros blogues. Não supunha que, entre sugestões e comentários de leitores e investigação que tive de fazer para comentar temas que foram surgindo, acabaria por aprender tantas coisas e descobrir tantas novas fontes de informação sobre estas questões. E creio - mas talvez isto não passe de wishful thinking e grave imodéstia - que o panorama geral da divulgação das (e dos comentários sobre) as sondagens terá mudado, de forma quase imperceptível mas real, desde que isto existe.

Agradeço a todos os aqui vieram, mas especialmente aos que divulgaram e comentaram o que aqui se escrevia nos seus próprios blogues, nos jornais, ou de outra maneira qualquer.
Enviar um comentário